domingo, 13 de junho de 2010

Alemanha x Austrália

Alemanha ignora traumas e juventude, evoca tradição e goleia na estreia da Copa

Suicídio do goleiro titular, contusão e corte do seu capitão, juventude do elenco... As razões para um possível tropeço já estavam decoradas pelos críticos, mas a Alemanha ignorou todas as adversidades e, com um futebol que fez jus a sua tradição, venceu a Austrália por 4 a 0, na estreia da Copa do Mundo de 2010. Com isso, além de assumir a liderança do grupo D, a equipe demonstrou aos adversários que chega forte para lutar pelo seu tetracampeonato.

Após o fracasso no último Mundial, quando jogou em casa, a seleção alemã passou por uma reformulação. Nesses quatro anos, a equipe perdeu o goleiro Robert Enke, que se suicidou no ano passado. O baque aumentou quando Michael Ballack foi cortado por contusão às vésperas do início da Copa do Mundo.

Apesar dos problemas e de o técnico Joachim Löw optar pelo elenco mais jovem da história da Alemanha em uma Copa do Mundo (média de 24 anos e 11 meses), a juventude não significou nervosismo na estreia. Muito pelo contrário. Phillip Lahm, de 26 anos, herdou a braçadeira de capitão e soube liderar a sua equipe diante dos australianos, que chegaram até a criar a primeira boa oportunidade na partida deste domingo, no estádio de Durban.

Os alemães, apesar de mais novos, indiscutivelmente tinham mais habilidade que os australianos. E o jogo deste domingo serviu como redenção para alguns desses talentos. Um deles é Lukas Podolski que, após a irregularidade apresentada no Mundial de 2006, viu sua carreira atravessar um período obscuro. Neste domingo, além de uma atuação de destaque, o atleta nascido na Polônia foi o responsável pelo primeiro gol da Alemanha.

Quem também brilhou no setor ofensivo foi Miroslav Klose. Um dos poucos atletas desta equipe com mais de 30 anos, o atacante também balançou as redes e segue em busca de sua meta pessoal: se tornar o maior artilheiro da história da Copa do Mundo. Por enquanto, o brasileiro Ronaldo está na frente, com 15 gols, mas o jogador da seleção alemã marcou um neste domingo e chegou a 11.

O destaque individual de Podolski e Klose, no entanto, só foi possível graças à eficiência do meio-campo criado pelo técnico Löw. Além dos jovens Özil e Müller, os alemães ainda contaram com um inspirado Schweinsteiger. Apesar de estar mais experiente, o atleta continuou insinuante e, com suas fintas, foi o alvo predileto das faltas dos australianos. Uma delas, por sinal, resultou em um cartão vermelho para Tim Cahill.

Agora, passada a ótima estreia, os alemães precisam provar na próxima sexta-feira, contra a Sérvia, se a sua jovem equipe teve apenas um lampejo ou se, realmente, pode brigar pelo título. Aos australianos, resta a chance da redenção contra Gana, no sábado.



Fonte: UOL

1 comentários:

Rafinha disse...

A Copa mal começou e já está pegando fogo... Agora só esperar pela estreia da nossa seleção frente à Coreia do Norte.

Abraços a todos
Rafinha